Você conhece a origem dos esmaltes?

Sabia que muitos e muitos anos atrás a mulherada já era vaidosa com as mãos e as unhas já eram pintadas na realeza do Antigo Egito, lá por volta dos 3500 a.C.? Sim, as egípcias aplicavam uma tintura de hena preta.

As cores mais vibrantes ficavam relegadas ao uso da família real e chegavam a despertar algumas preferências entre as rainhas do Egito. Cleópatra tinha uma clara preferência pela tonalidade vermelho-escura. Já Nefertiti tinha mais gosto pelo esmalte de tom rubi.

O mesmo poder de distinção social observado no uso do esmalte entre os egípcios também era perceptível entre os chineses. Em meados do século 3 a.C., o uso de tons vermelhos e metálicos (feitos com soluções de prata) significavam a ocupação de um lugar privilegiado na hierarquia social. Já entre os romanos, a pintura dava lugar a tratamentos com materiais abrasivos que faziam o polimento das unhas.

A tecnologia para o tratamento das unhas ficou relativamente estagnada até o século XIX. Nessa época, os cuidados se restringiam à obtenção de unhas curtas e que estivessem moldadas por uma boa lima. Em alguns casos, as unhas eram ligeiramente perfumadas com óleo e polidas com uma tira de couro.

Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito – até hoje utilizado para a remoção das cutículas. No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje.

Na sua primeira versão, o produto era de um tom rosa-claro e aplicado no meio das unhas. No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.

Bom, pra quem ama esmalte como a gente, essa informação deve ter sido bem interessante, não é mesmo? E agora que você está expert no assunto já pode se inspirar na realeza, ficar linda e maravilhosa! E o melhor de tudo: hoje são infinitas as opções de cor, textura, marcas. O importante é escolher bons profissionais e, principalmente, fazer as unhas somente em local apropriado, que esteja dentro de todos os padrões de higiene nesse mundo da estética.

Aqui, no MariaMaria Cabelo e Corpo, você pode confiar!

(Com informações do site historiadomundo.com.br – texto adaptado por pontoZap comunicação)

One thought on “Você conhece a origem dos esmaltes?

  1. Adorei o site vou acompanhar mais vezes suas postagens.
    Adoro tudo que é do ramo de manicure
    Parabéns pelo site, beijos da Re

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *